Sarney won’t get Punk’d

fundo_post_sarney

Há a algum tempo, criou-se uma campanha clamando a cabeça de José Sarney. Levantada pelos internautas (majoritariamente do Twitter) e, por que não dizer, capitaneada pelas vespas do CQC (Marcelo Tas e companhia) criando a hashtag #forasarney para que o dito senador caia fora do Senado (e, se possível, da vida política nacional).

Muito bonito. Justo. Nem vou entrar no demérito daquele ser humano. O caso triste aqui é outro. Ou não.

Mas onde estão os panelaços? Tirando uma galera que vai se reunir, se não me engano, na própria Maranhão Sarneyniana, não há multidão nas ruas gritando ‘Fora Sarney’ ao invés de, às cuecas, ficar com o iPhone tuitando e se divertindo virtualmente com os demais revolucionários de xBox? Se nos chamam de órfãos da ditadura, juventude que busca qualquer coisinha pra fazer barulho, justamente por que não teve grandes bombas para combater; então por que, à ocasião de uma oportunidade, somos tão nauseabundos quanto um zumbi.

Será esse levante online apenas uma evolução, uma nova forma de protesto? Veja bem, não sou contra o levante, não, achei legal, repito: achei legal. Mas falta força, é muita preguiça ficar protestando apenas atrás do monitor – o que impede que esses (chutando aqui) vinte mil tweeters se juntem ao vivo, deixarem a claustrofobia dos 140 caracteres e gritar durante 140 minutos. Seja na avenida que for. Seja na cidade e no estado que for.

Não fosse somente essa falta de fibra, ainda somos obrigados a aguentar algum pouco imbecil pedir para Ashton Kutcher, meninão do twitter e brazilian buddy depois do meme do jogo da Copa das Confederações, para que tuitasse o #forasarney. Ao passo que o garotão deu uma lição de moral e o recado vai passando, como lenço da vergonha, de tuíte para tuíte.

Veja o nível da preguiça. Já não basta relevar a força do grito aos 140 caracteres, ainda nos prostituímos à primeira celebridade americana que nos dá atenção.

Clamando: ajuda-nos.

Pff.

Atualização: Segue site para saber em que dia e horário vai ter passeata contra o homem na sua cidade. Se onde você mora não consta na sua lista, organize com seus coleguinhas!

http://saiagilmar.blogspot.com/2009/06/fora-sarney-pelo-brasil.html

Bruno Portella

Visite:

http://www.forasarney.com

Anúncios

5 Respostas para “Sarney won’t get Punk’d

  1. Mentira que alguém pediu pra que um ator americano tuitasse o #forasarney, né? Fala sério, pessoal! É muita falta de noção!!

  2. o negócio é fazer a revolução em 140 caracteres, com petições online e panelaços em flash enquanto coçam a bunda, tomam coca-cola e arrotam atrás do computador. otimização do tempo, saca?

  3. NA MINHA OPINIÃO VC TA MANJANDO MTO DE POLÍTICA.

    [Comentário do blogueiro: Ou não. ]

  4. nem ligo ;D

    [ Comentário do Blogueiro: Fica mais fácil você enviando um e-mail pra mim pedindo que tire o seu da lista. No aguardo. ]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s